Uma conversa sobre investimento

Conversa sobre investimento

Experimente comprar uma bicicleta bacana e economizar no cadeado, ou comprar um guarda-chuvas de 10 reais, ou ainda fazer uma tatuagem na banquinha da praça. E que tal um carro importado sem seguro? Ou um jeitinho na fiação para enganar o disjuntor que anda desarmando? A lista segue sem fim. Quem nunca tomou uma dura lição com esse tipo de economia? Vá com o baratinho para “quebrar o galho” e o resultado logo aparece.

Mas a palavra investimento não se limita apenas ao seu óbvio aspecto financeiro. Ela inclui também o uso sábio de um recurso que é limitado a todos os seres vivos: o tempo (ou energia vital, como prefira). Gaste todo o seu tempo e energia apenas em prazeres efêmeros em detrimento, por exemplo, de buscar melhorar sua qualificação profissional, e o futuro se encarregará de lhe mostrar as consequências das suas escolhas.

E não dá para falar de investimento sem lembrar do economista italiano Vilfredo Pareto, que, em 1892, publicou em seu artigo “Cours d’économie politique” o que mais tarde viria a ser conhecido como Princípio de Pareto, ou Lei dos Poucos Vitais, ou ainda Regra do 80/20, segundo a qual, para muitos eventos observados, aproximadamente 80% dos efeitos advêm de apenas 20% das causas.

Suas aplicações são inúmeras. A Microsoft notou que, ao corrigir os primeiros 20% dos bugs mais relatados, 80% dos erros e panes de um dado sistema eram eliminados. Em teste de carga, é uma prática comum estimar que 80% do tráfego ocorre em 20% do tempo. Em segurança do trabalho, assume-se que 20% dos perigos respondem por 80% dos acidentes. 80% dos crimes são cometidos por 20% dos criminosos, e por aí vai.

O entendimento de Pareto é fundamental quando se pretende otimizar o uso do tempo e dos recursos para a conquista de qualquer objetivo. Saber concentrar energia exatamente naqueles poucos pontos que serão os mais determinantes para o seu resultado é a chave.

Trazendo as ideias acima para o seu contexto profissional

Primeiro, encontre onde estão aqueles 20% onde você deve concentrar suas energias, de onde sairão 80% dos resultados positivos que você terá na sua vida. Depois, determine como você vai alocar inteligentemente os seus limitados recursos.

Faça um MBA numa instituição de ponta. Vai te consumir uns 2 a 3 anos e não menos que 60 mil reais. Ou que tal tentar uma formação em medicina? Vestibular difícil, 8 a 10 mil por mês numa faculdade particular por uns 6 anos, mais o tal do Medcurso, e depois uns 2 anos de residência. São opções boas e consagradas, sem dúvida.

Ou que tal se tornar um Prático de Navios? Que escolha profissional te trará tanto retorno em termos de qualidade de vida, remuneração e estabilidade, e com um investimento (em recursos e tempo) várias vezes menor? Em outubro de 2006, com a única certeza de que queria mudar de vida, eu enfrentei a seguinte escolha pessoal: fazer um MBA em gestão de projetos ou começar a estudar para tornar-me um Prático. Felizmente, fui na segunda opção. Os mais de 200 Práticos que estudaram no Curso H na última década também parecem ter acertado na escolha da carreira. Deixo aqui duas frases já manjadas, mas de grande valor: “negócios grandes dão o mesmo trabalho que negócios pequenos” e “se quiser acertar um elefante, atire num elefante”. Conclua você mesmo.

Sobre determinação e atitudes baratas

Seja qual for a sua escolha, se você acredita ter encontrado aqueles 20% que vão te trazer retorno de verdade, concentre ali as suas energias. Foi o que fiz entre 2006 e 2008 quando, por dois anos, abri mão de todo e qualquer tempo livre que tinha para dedicar-me aos estudos. Mudei-me para mais perto do trabalho para não perder tempo com transporte, reuni a bibliografia no meu novo QG e só parei de estudar na véspera da prova.

Doar-se pouco aos estudos, matricular-se naquele curso baratinho, conseguir aquele material pirata já meio desatualizado, manter os finais de semana livres para o lazer… Que mal haveria nisso? Afinal, ainda não se sabe a data do próximo concurso! Melhor gastar minha grana com um iPhone XI, ir ao Rock in Rio por 525 reais a noite, dar 700 pilas no último modelo da Nike, ou fazer aquela viagem com os amigos. Ora, tudo isso só vai te levar a quase passar, o que é o mesmo que não passar.

A frase “barato que sai caro” ganha sua máxima expressão no caso de concursos. Quem acha que o investimento para se tornar um Prático é alto é porque certamente desconhece todos os benefícios e a realização pessoal e profissional que essa profissão pode lhe proporcionar. Neste fim de ano, aproveito para desejar-lhe boas festas, ou bons estudos, se você já começou!
.

Um abraço,
.

Hercules Lima
Prático e fundador do Curso H
.
.

—————–

OUTRO ARTIGOS QUE PODEM TE INTERESSAR:

– A data do próximo concurso para Prático

– Entrevista com Prático – Caio Frare

– História da Praticagem no Brasil

– Como se tornar um Prático de Navios: o que você precisa saber

– Praticagem é Máfia? Entenda a origem do mito

 

ebook-manual-do-concurseiro

Artigos Relacionados

30 Comentários

  • Pedro Roberto Dourado Lima

    9 de maio de 2021

    Boa noite,
    Hércules, poderia fazer uma matéria relatando como foi sua jornada de estudos? Conte-nos como foi sua jornada, dificuldades, insegurancas, etc. Certeza que seria uma injecao de animo e motivacao pra gente.
    Grato.
    Parabens pelo curso, estou adorando.

  • ARTENIA FRANCISCA COSTA MARTINS

    3 de fevereiro de 2021

    Olá. Também quero mais informações, por favor, tais como valor, previsão de o curso ser apenas online? Moro no Acre. Não tenho acesso fácil às cidades nas quais as aulas podem ser assistidas. Obrigada.

    • Curso H

      6 de abril de 2021

      Entraremos em contato, Artenia!

  • Gabriel Damascena Pacheco

    24 de agosto de 2020

    Boa Tarde. Gostaria de mais informações sobre o curso, principalmente sobre os valores.

    • Curso H

      25 de agosto de 2020

      Claro Gabriel, entraremos em contato!

  • Saulo

    12 de março de 2020

    Boa tarde!
    Tenho pesquisado no material disponível no site, recebido os emails, etc., mas nada menciona objetivamente valores ou carga horária necessária para realizar os cursos que vocês oferecem.

    Gostaria de saber objetivamente quanto precisarei investir para fazer o curso, tanto em termos financeiros quanto em termos de tempo.

    Obrigado!

    • joaorafael

      16 de março de 2020

      Sem problema, Saulo! Vou pedir que entrem em contato com você por e-mail.

  • Julio Cosme Pereira Ton

    17 de dezembro de 2019

    Gostaria de saber mais informações

    • Curso H

      17 de dezembro de 2019

      Agora mesmo, Julio! Vamos te mandar um e-mail.

  • marise de

    4 de dezembro de 2019

    boa tarde.
    gostaria de informações sobre o curso .

    • Curso H

      5 de dezembro de 2019

      Olá, Marise! Vamos te enviar um e-mail com mais detalhes!

  • ismail

    27 de novembro de 2019

    Olá, Boa Tarde
    Eu li no site da DPC que para participar do processo seletivo o candidato tem que ter ensino superior, minha pergunta é, se o candidato for graduado em um curso de tecnólogo de comercio exterior, que é considerado um curso de ensino superior, teria sua candidatura invalidada?

  • marcelo

    27 de novembro de 2019

    ola gostaria de saber mais sobre o curso de praticagem

    • Curso H

      28 de novembro de 2019

      Olá, Marcelo! Vou te enviar um e-mail com mais informações!

  • LAÉRCIO LUCAS OLIVEIRA

    25 de novembro de 2019

    Gostaria de saber mais sobre o concurso de prático

    • Curso H

      28 de novembro de 2019

      Olá, Laércio! Tudo bem? Vou te enviar um e-mail completo falando da profissão onde você também pode solicitar o contato direto com a nossa equipe.

  • Felipe

    18 de novembro de 2019

    Olá, gostaria de saber mais sobre o curso, não sei nem por onde começar!

    • Curso H

      21 de novembro de 2019

      Sem problema, Felipe! Vou pedir a um consultor para entrar em contato com você por e-mail!

  • Roney

    15 de novembro de 2019

    Caros amigos tenho 57 anos sou graduado em Engenharia Civil mas não tenho inglês, o que posso fazer para ter uma chance de passar ?

    • Curso H

      21 de novembro de 2019

      Olá, Roney! Para ter uma chance de passar, antes é preciso estudar o conteúdo programático dos editais a fundo para compreender a matéria, que é extensa e específica. Sobre os requisitos do concurso, você pode ver a lista completa neste link: https://www.marinha.mil.br/dpc/sites/www.marinha.mil.br.dpc/files/processo-selecao/normam12.pdf

      Segundo a NORMAM, sua idade e formação não são um problema (não existe idade máxima, só idade mínima de 18 anos). Pessoas de qualquer formação superior podem concorrer, inclusive muitos Práticos que estudaram conosco vieram de outras áreas. Sobre o inglês, é essencial que você tenha este conhecimento, por isso também oferecemos um curso específico de Inglês para Praticagem envolvendo todos os termos e expressões do contexto da profissão. Com essa preparação, é sim possível conquistar esse grande objetivo.

  • Victor

    4 de novembro de 2019

    Sou apaixonado pela profissão e gostaria de saber como entrar neste universo que sempre me disseram ser pra pouquíssimos. Como devo proceder? Não sei por onde começar e como conciliar o estudo com o trabalho.

    • Curso H

      11 de novembro de 2019

      Olá, Victor! Te enviamos agora um e-mail com mais informações sobre a Praticagem!

  • Dejean Tavares dos Santos

    1 de novembro de 2019

    Gostaria de saber como eu faço para adquirir o material de estudos, como também os preços orçamentários !

  • CÁSSIO

    28 de outubro de 2019

    OLÁ, GOSTARIA DE ALGUMAS INFORMAÇÕES TAMBÉM…OBG.

    • Curso H

      11 de novembro de 2019

      Olá, Cássio! Mandei agora para o seu e-mail uma mensagem com mais informações sobre a Praticagem!

  • Josimara

    23 de outubro de 2019

    Olá! Gostaria de saber a idade máxima para o concurso de prático. Obrigada

    • Curso H

      11 de novembro de 2019

      Olá, Josimara! Te enviei agora um e-mail com mais informações sobre a Praticagem e o LINK para a NORMAN 12, onde você pode ler tudo sobre o processo seletivo!

  • Paulo Guerra Duque

    11 de outubro de 2019

    Olá, bom dia!
    Eu gostaria de estudar para o concurso de
    Prático, mas não sei nem por onde começar!
    Tampouco o que se deve estudar e os requisitos para
    Se tornar um pratico!
    Paulo G Duque

    • Curso H

      23 de outubro de 2019

      Olá, Paulo! Vamos te enviar um e-mail com mais informações hoje mesmo!

Deixe uma resposta paraCurso H Cancelar Resposta

Resumo das experiências profissionais:

– Prático dos portos do Estado do Espírito Santo (desde 2009).
– Aprovado em primeiro lugar na prova escrita do processo seletivo de 2008. – Piloto de caça do Primeiro Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (2002 a 2008).
– Gerente de Manutenção e Logística das aeronaves de caça da Marinha, no Comando da Força Aeronaval (2008).
– Professor da cadeira de Aerodinâmica do curso de formação de Aviadores Navais (2005-2006).
– Aviador Naval, tendo-se formado após quatro anos de cursos nas Marinhas Norte-Americana e Argentina (1999 a 2002).
– Como Oficial do Corpo da Armada da Marinha do Brasil, realizou viagem de circunavegação no NE Brasil (1997) e embarcou em navios da Marinha, desempenhando várias funções a bordo e desenvolvendo sua qualificação profissional em navegação e náutica.
– Formado pelo Colégio Naval (1990) e bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval, com especialização em sistemas de armas (1996).

Ao longo de 18 anos de carreira na Armada da Marinha do Brasil, realizou diversos cursos, dentre os quais se destacam os seguintes:
– Curso de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA, 2006);
– Curso de Estado Maior para Oficiais Intermediários (Escola de Guerra Naval, 2005);
– Curso de Preparação para Recebimento de Aeronaves (Instituto de Aeronáutica e Espaço, Centro Tecnológico da Aeronáutica, 2004), primeiro colocado;
– Qualificação de Pouso a Bordo de Porta-Aviões (USS John F. Kennedy, 2002);
– Advanced Strike Flight (Meridian NAS, US Navy, 2001-2002);
– Oral Proficiency Skills for Aviation (Defense Language Institute, Department of Defense, EUA, 2001);
– Curso Avançado de Caça e Ataque (Primera Escuadrilla Aeronaval de Ataque, Armada Argentina, 2000);
– Curso de Formação de Aviadores Navais (Escuela de Aviación Naval, Armada Argentina, 1999), primeiro colocado;
– Curso de Guerra Eletrônica para Oficiais (CAAML, 1998);
– Curso de Especialização de Armamento para Oficiais (CIAW, 1997).

Fundou o Curso H em outubro de 2010, e desde então se dedica a prover aos seus alunos a mais completa preparação para todas as etapas do processo seletivo para Praticantes de Prático.

Hercules Lima

Prático

Resumo das experiências profissionais nas áreas afins:

– Capitão–de–Mar–e–Guerra (RM1) do Corpo da Armada, Hidrógrafo.
– Curso de Aperfeiçoamento de Hidrografia para Oficiais da Marinha – 1º lugar com distinção;
– Comandante do Navio Hidrográfico “Argus” da DHN;
– Comandante do Navio Hidro-Oceanográfico “Almirante Graça Aranha” da DHN;
– Comandante do Aviso Hidrográfico “Camocim” da DHN;
– Chefe da “Comissão de Levantamentos Hidrográficos da Amazônia” (COLAM);
– Imediato, Chefe dos Departamentos de Hidrografia e Oceanografia e Encarregado de Navegação de vários navios hidrográficos e oceanográficos da DHN;
– Encarregado de Navegação do Navio-Escola “Brasil” em viagem por 28 países de quatro continentes;
– Chefe do Departamento de Instrução da DHN;
– Encarregado da Divisão de Cartografia da DHN;
– Instrutor das disciplinas Cartografia, Hidrografia, Construção da Carta Náutica e Geologia Marinha do Curso de Aperfeiçoamento de Hidrografia para Oficiais da Marinha;
– Autor do livro “Capitão Amador – Navegação Segura em Cruzeiros de Alto-mar”, recomendado pela Marinha para a prova de Capitão-Amador.
– Professor das matérias Meteorologia, Oceanografia, Navegação em Águas Restritas, Publicações da DHN, Comunicações, Manobras de Navios, Sinalização Náutica e Gerenciamento de Passadiço para concursos para Praticante de Prático.
– Professor de cursos de preparação para Capitão-Amador e Mestre-Amador, Meteorologia, Oceanografia, Planejamento de Cruzeiro Oceânico, Navegação Eletrônica e Navegação Astronômica.
– Professor de aulas práticas de utilização de aparelhos eletrônicos de navegação (radar, AIS, GPS e ecobatímetro).

Jaime Felipe

Capitão–de–Mar–e–Guerra

Resumo das experiências profissionais nas áreas afins:

Engenheiro da Computação e Matemático.
Ex-aluno do Curso H.

Resumo das experiências profissionais:

– Petrobras CENPES, pesquisador na área de detecção de vazamentos (escoamento confinado), 2012 a 2014;
– WesternGeco Schlumberger, trabalhando embarcado com serviços de sísmica;
– Curso Elite, professor de matemática, Porto Alegre, 2003;
– Curso Mauá, professor de matemática, Porto Alegre, 2000 a 2003.

Formação acadêmica:

– Engenharia da computação, IME, Rio de Janeiro, 2004 a 2008;
– Matemática, UFRGS, Porto Alegre, 2000 a 2003.

Thyago Kufner

Engenheiro e Matemático

Resumo das experiências profissionais:

Nicolas Klachquin

Professor

Resumo das experiências profissionais:

– Mais de 10 anos de experiência em telecomunicações, tendo trabalhado como Engenheiro e Gerente de Projetos para as empresas Vivo e Nextel, no Brasil, e para a Kordia Solutions, na Austrália, durante 5 anos.
– Gerente de Projetos de logística de medicamentos na Luft Logistics.

Formação acadêmica:

– MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios (FVG – SP);
– Engenheiro Eletricista pela Universidade Federal da Bahia (UFBA);
– Curso de Especialização em Telecomunicações (UFBA);
– Engenheiro de Áudio pela Escola de Engenharia de Áudio (SAE), Brisbane, Austrália;
– Capitão Amador.

Ex-aluno do Curso H.

Pablo Zuniga

Engenheiro Elétrico

Formação Acadêmica:

Bacharel em Análise de Sistemas – 2007 – Universidade Estácio de Sá
Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos – COPPEAD / UFRJ (2009)

Paulo Freitas

Analista de Sistemas

Resumo das experiências profissionais:

– Mais de 20 anos de experiência em consultoria nas áreas de gerenciamento de projeto, tecnologia da informação e desenvolvimento de sistemas.
– Atuou como consultor em projetos nos EUA, Panamá e Chile e no gerenciamento de TI de empresas nos EUA, tendo residido neste país por mais de 10 anos.
– Atuou como consultor da Marinha do Brasil em Washington-DC (CNBW) por um período de 2 anos.
– Atualmente, é consultor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Formação acadêmica:

– Masters of Science Degree in Information and Telecommunication Systems, Johns Hopkins University, Baltimore – Maryland, USA, 1999.
– Bachelor of Arts Degree in Computer Information and Systems Science, University of the District of Columbia, Washington DC, USA, 1993.
– Associate of Arts Degree in Information Systems, Montgomery College, Rockville – Maryland, USA, 1991.

Ex-aluno do Curso H.

Jorge Mendes

Engenheiro de Sistemas

Formação Acadêmica:

Bacharelato em Oceanografia – UERJ – incompleto.
Bacharelato em Engenharia de Recursos Hídricos e do Meio Ambiente – UFF – Graduado em 2015 com foco em meteorologia sinótica da América do Sul e mudanças climáticas.

Resumo das experiências profissionais:

Lachmann – 2009 a 2011 – Agente Marítimo (visitador de navios).
Tide Maritime – 2011 a 2014 – Mesa de operações e atuação na área comercial como broker de navios CPP e DPP.
Curso H – Início em 2016.

Diego Soares

Engenheiro de Recursos Hídricos

O Capitão-de mar-e-guerra Paulo Roberto Valgas Lobo é autor do livro “Meteorologia e Oceanografia – Usuário Navegante”, adotado na bibliografia oficial para o Processo Seletivo para Praticantes de Prático (1ª edição: 1999, 2ª edição: 2007), e do livro de Meteorologia e Oceanografia para Ensino à Distância (2008).

Qualificações acadêmicas:

– Curso de graduação na Escola Naval (1959 a 1961);
– Curso de Aperfeiçoamento em Hidrografia e Navegação – DHN (1964);
– Mestrado em Meteorologia – INPE (1978 a 1981);
– Doutorado em Política e Estratégia Marítima – EGN (1988);
– Curso de Especialização em Previsão do Tempo e do Clima – UFRJ (1995);
– Curso de pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior – UERJ (1998);
– Oceanógrafo (lei 11.760, de 31 de julho de 2008).

Experiências profissionais:

– Professor de Meteorologia e Oceanografia do Ensino Profissional Marítimo no CIAGA, desde 1995.
– Professor de Navegação, Meteorologia e Oceanografia na Escola Naval, de 1968 a 1971, e de 1999 a 2001;
– Comandante do Navio Hidro-Oceanográfico Canopus, 1986;
– Vice-Diretor do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, 1987;
– Vice-Diretor da Escola Naval, de 1989 a 1990.

Valgas Lobo

Capitão–de–Mar–e–Guerra

Prático da ZP-14 (Vitória), aprovado no Processo Seletivo para Praticantes de Prático de 2012/2013.
Capitão-de-Fragata (FN) da Marinha do Brasil.
Ex-aluno do Curso H.

Resumo das experiências profissionais:

– Comando da Companhia de Comunicações de Fuzileiros Navais;
– Instrutor do Curso de Aperfeiçoamento para Oficiais Fuzileiros Navais;
– Instrutor da Escola Naval;
– Oficial de Intercâmbio na Second Marine Division, United States Marine Corp – Marine Corp Base Camp Lejeune – NC – USA (2007/2008).

Formação acadêmica e principais cursos:

– Colégio Naval (1980 a 1982);
– Escola Naval (1983 a 1986);
– Curso Especial de Comunicações para Oficiais;
– Curso de Aperfeiçoamento para Oficiais;
– Curso de Inteligência para Oficiais;
– Curso de Especialização em Operações Anfíbias, Espanha;
– Curso Expedito de Operações Militares em Área Urbana, Inglaterra;
– Curso de Armamento Antiaéreo, Exército Brasileiro;
– Curso de Comando e Estado Maior para Oficiais, Escola de Guerra Naval;
– MBA de Gestão Empresarial pelo COPPEAD.

Evandro D’Aquino

Prático

Aprovado no Processo Seletivo para Praticantes de Prático de 2012/2013 para a ZP-14 (Vitória);
Capitão-de-Corveta da Marinha do Brasil;
Engenheiro Naval;
Ex-aluno do Curso H.

Resumo profissional e acadêmico:

– Formado pelo Colégio Naval (1991);
– Bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval, com especialização em eletrônica (1997);
– Realizou viagem de circunavegação no Navio-Escola Brasil (1998);
– Embarque na Corveta Inhaúma (1999);
– Formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Computação pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, POLI-USP (2003).

Guido Botto

Prático

Aprovado no Processo Seletivo para Praticantes de Prático de 2012/2013.
Primeiro-Tenente da Marinha do Brasil.
Ex-aluno do Curso H.

Resumo das experiências profissionais:

– Embarcou em diversos navios da Marinha do Brasil e de Marinhas estrangeiras, ao longo de mais de 11 anos de carreira naval;
– Realizou viagem circunavegação no Navio-Escola Brasil (2009);
– Trabalhos na área de operações de inteligência e segurança na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (CNUDS RIO+20), no Rio de Janeiro (2012);
– Intérprete e agente de ligação com a Royal Navy em operação conjunta das Marinhas do Brasil e Britânica (Passex Ocean), a bordo do navio HMS Ocean (2010);
– Diversas atuações como instrutor, na Marinha do Brasil e em instituições civis.

Formação acadêmica e principais cursos:

– Bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval da Marinha do Brasil (2009);
– FA Basic Officer Leadership Course (Curso de Liderança para Oficiais do Exército Americano), graduado com honras de distinção (Distinguished Honor Graduate), Escola de Fort Sill, Oklahoma, EUA (2011);
– Brazilian Maritime Pilot Training, MITAGS & CURSO H, Baltimore, EUA (2013);
– Domínio dos idiomas inglês, francês e espanhol.

Paulo Torres

Prático

Aprovado no Processo Seletivo para Praticantes de Prático de 2012/2013 para a ZP-14 (Vitória).
Capitão-Tenente do Corpo da Armada da Marinha do Brasil, Hidrógrafo.
Ex-aluno do Curso H.

Resumo das experiências profissionais:

– Oficial do Centro de Hidrografia da Marinha, DHN (2014);
– Oficial de Manobra, Encarregado de Navegação e Encarregado da Divisão de Hidroceanografia do Navio Hidro-Oceanográfico Faroleiro “Almirante Graça Aranha” (DHN, 2012 a 2014);
– Embarque no Navio “Pará”, tendo navegado pelo Rio Amazonas e seus afluentes (2009 e 2010);
– Realizou viagem de circunavegação no “Navio-Escola Brasil” (2008);
– Monitor de navegação e manobra do navio de instrução “Guarda-Marinha Brito” (2007).

Formação acadêmica e principais cursos:

– Maritime Pilot Training – Mitags & Curso H, EUA (2013);
– Curso de Aperfeiçoamento de Hidrografia para Oficiais da Marinha (DHN, 2011);
– Escola Naval (2004 a 2007).

Raphael Sobreira

Prático

Aprovado no Processo Seletivo para Praticantes de Prático de 2012/2013 para a ZP-15 (Rio de Janeiro).
Capitão-de-Fragata da Marinha do Brasil e Capitão de Longo Curso da Marinha Mercante.
Ex-aluno do Curso H.

Resumo profissional e acadêmico:

– Ao longo da sua carreira na Marinha do Brasil, passou mais de 15 anos embarcado em navios de guerra;
– Instrutor do CIAGA em Manobra de Navio, Navegação Eletrônica e Navegação Astronômica;
– Mestrado em Ciências Navais;
– MBA em Gestão Empresarial, COPPEAD-UFRJ;
– Curso de Altos Estudos Militares, Escola de Guerra Naval;
– Curso de Estado Mayor de la Academia de Guerra de Naval de Chile.

Renato Kopezynski

Prático

– Nativo da língua inglesa, com doze anos de experiência no ensino de inglês, tendo lecionado em diversos países, dentre eles África do Sul, Brasil, Chile, Inglaterra e Angola.
– Graduado em Inglês e em Direito, é autor de diversos cursos de especialização, tais como: “Inglês para Pilotos da Aviação”, “Inglês para Comissários”, “Inglês para Praticagem” e “Inglês para Advogados”.

Informações adicionais:

– Proprietário da Global Aviation English e autor do maior Curso de Inglês online para aviação do mundo.
– Qualificação TEFL; e
– Autor de dez aplicativos para celular relacionados ao ensino de inglês.

Damon Freeman

Professor de Inglês

Prático dos Portos do Estado de São Paulo desde 2011.
Sétimo lugar geral no Processo Seletivo de 2011, somando 19 pontos na Prova Prático-Oral.
Graduado em Comércio Exterior pela Universidade Presbiteriana Mackenzie – SP (2005).
Capitão Amador.
Aluno da primeira turma do Curso H.

Caio Frare

Prático

Resumo das experiências profissionais:

- Técnico em Eletrônica;
- Piloto de aviões e planadores;
- Oficial da reserva de infantaria da FAB;
- Capitão Amador;
- Engenheiro Aeronáutico formado pelo ITA, com experiência em aerodinâmica, energia eólica e segurança de aeronaves.

Tomaz Cavalcante

Engenheiro Aeronáutico